Tempo Esgotado

Gilberto Romero



O dia lá fora está tão sombrio
Diante do seu retrato respiro saudade
Estou cansado e sinto muito frio
Fecho os olhos e vejo a verdade.

Nada é mais certo do que o fim
A janela fechada aumenta a tristeza
Mas não sei, prefiro tudo assim
Lágrimas de dor escorrem da vela acesa.

Despenco rápido num abismo incerto
A alma geme reclamando do vento
Você não voltou e estava tão perto
A vela se apaga, acabou seu tempo.

09/09/05







Intrusa
Gilberto Romero



Nesta vida a tristeza é intrusa
Chega sem alarde, sem disfarce
Invade a alma, congela o corpo
Apaga a luz dos sonhos e fica...

Traz consigo dias amargos
Com início e sem qualquer tendência
Sombrio caminho despovoado
Frias portas trancadas... leito vazio.

Brinda a sorte ausente
Jura fidelidade à dor
Agradece o santo abrigo
No peito dos desvairados...

Mas nada é eterno, nem a tristeza
E mesmo diante da escuridão ilimitada
Deve-se ficar atento, não fechar os olhos
Aguardar o primeiro raio de sol
O sopro leve da brisa da manhã...

Sem essa esperança, fica difícil
Só restará o chão, úmido e sagrado
Altar dos espíritos submetidos
Que alimentam a continuidade da tristeza.

18/01/07







Reencontro
Gilberto Romero



Nada de cobranças, deixa que a volta eu faço
Não tentes me ligar, já desliguei o celular
Pode imaginar aquele beijo, aquele abraço
O tempo voa, não para nem pra descansar.

Dia desses, não duvides, estarei de novo a teu lado
Depois de vencer caminho sempre tão engarrafado
Será noite na chegada e não estarei encabulado
Usa traje de princesa e guarda um vinho bem gelado.

Vou sorrir ao te sentir
Vou sonhar ao te beijar
Vou vibrar ao te amar
Vou dormir ao te ninar.

27/08/05







Obscuro
Gilberto Romero



Noite fria, noite sem fim
Daquelas que ninguém deseja assim
Estou sufocado pela tristeza
Deixando-me levar na correnteza.

Procuro luz e corro para a janela
Esbarro na televisão com a novela
Mostrando que a vida é ficção
Na qual cada um cria a sua solidão.

Chuto a vida e penso na morte
Como se isso fosse mudar a sorte
Quero correr, não tenho passaporte
Quero gritar, o silêncio é mais forte.

Noite que segue
Escuro que me persegue
Vida que não vale a cena
Melhor ser curta e serena.

27/08/05







Mudar Como O Vento
Gilberto Romero



Busco na memória o momento
Da primeira vez que a vi.
Confesso sem arrependimento
Que nem curiosidade senti.

Seu nome, embora simples,
Às vezes era difícil lembrar.
Sua presença, tampouco,
Sequer me fazia pulsar.

Entretanto nesta vida,
Arrastada pelo tempo,
Nem tudo se consolida
E pode mudar como o vento.

Hoje sempre que a vejo
Fico encantado e desligo,
Dominado por intenso desejo
De ser muito mais que um amigo.

28/08/05







Solidão
Gilberto Romero



Tem dias que só consigo respirar
Afinal, nem tudo ousaram me tirar.
Tal concessão faz-me crer que ainda existo
Acho que deveria me contentar com isto.

Aliás, também posso pensar, até sonhar
Mas comandar meu coração, nem pensar
Vive descontrolado, fora do alcance da razão
Insistindo sempre em me levar à solidão.

Os dias vão passando com amargura
As noites se arrastando, sinto agonia
A vida vai se tornando tão tênue, insegura
Meus pensamentos vão perdendo sintonia.

Preciso reagir, sair desse deserto
Voltar no tempo ao lugar certo
Rever amizades perdidas, desatar o nó
Despir-me do hábito de estar sempre só.

01/09/05

 

 

 

 

 

 

  Anterior    

  Próxima   

 

 
 

Para receber nosso
Boletim de Atualizações
cadastre seu e-mail

AQUI

Gostaria de traduzir
esta página?
Então clique

AQUI


 

 

  Site Editado em Maio de 2006
 Copyright
© 2006 - Marise Ribeiro
 Todos os direitos reservados.
 Proibida a cópia total ou parcial deste site.
 
 
 Quando não constar qualquer observação
 sobre a autoria das imagens usadas neste site,
 considere que foram capturadas na Internet
ou em grupos de trocas virtuais,
 sendo portanto de uso sem restrições.
 
Visualização Padrão 1600x900

Webdesigner Drica Del Nero até Maio/2011

Webdesigner Marise Ribeiro

Página inserida em Maio/2006
e reformatada em Novembro/2013

Crédito
Midi The Long And Winding Road