Testamento

Marise Ribeiro
 


Quando eu morrer,
que seja num dia qualquer,
mas quero ir com o entardecer,
no instante em que o sol se puser.

Quero deste mundo me esvair
como as cores que desmaiam,
depois que fúlgidas presenciaram
o dia em júbilos explodir.

Quero murchar
como uma flor ao final do dia,
depois que num período de travessia
o seu aroma espalhar.

Quero me diluir
como o sol que se enterra no horizonte,
preparando um novo cenário
para a lua surgir por trás do monte.

Quero para sempre adormecer,
quando o calor arrefecer
e a brisa fresca da tarde
acariciar as folhas sem alarde.

Quero findar o meu caminhar,
quando os pássaros em revoada
se aninharem em suas moradas
e o ciclo da vida recomeçar.

Aí sim... eu não serei mais nada!


05/07/05





 



 

 



 


 
 

Para receber nosso
Boletim de Atualizações
cadastre seu e-mail

AQUI

Gostaria de traduzir
esta página?
Então clique

AQUI



 

 

  Site Editado em Maio de 2006
 Copyright
© 2006 - Marise Ribeiro
 Todos os direitos reservados.
 Proibida a cópia total ou parcial deste site.
 
 
 Quando não constar qualquer observação
 sobre a autoria das imagens usadas neste site,
 considere que foram capturadas na Internet
ou em grupos de trocas virtuais,
 sendo portanto de uso sem restrições.
 
 Visualização Padrão 1600x900

Webdesigner Drica Del Nero até Maio de 2011

Webdesigner Marise Ribeiro

Página inserida em Agosto de 2006
e reformatada em Julho de 2013.

Crédito
Midi Ernesto Cortazar - Endlessly