Solitude

Marise Ribeiro
 


Despertei de um sono sem sonhos,
de uma noite silente e carente de você;
... nem o sonho foi comigo indulgente.

Penso no dia que viria,
uma coletânea de "não-afazeres";
... nem os matizes do dia raiando
açulam em mim prazeres.

O sopro do vento frio
penetra nos poros abertos
da minha pele ainda quente,
doente da sua ausência,
dos seus beijos, dependente,
como a água nos desertos;
... nem esse vento me desnuda
da solidão que me inunda.

Um vazio de ideias na mente
deixa-me entorpecida,
entibiada de lutar pela vida,
tão hipnotizada pela descrença;
... até a esperança se cansa
e vai embora, enternecida.


02/06/05





 



 

 



 


 
 

Para receber nosso
Boletim de Atualizações
cadastre seu e-mail

AQUI

Gostaria de traduzir
esta página?
Então clique

AQUI



 

 

  Site Editado em Maio de 2006
 Copyright
© 2006 - Marise Ribeiro
 Todos os direitos reservados.
 Proibida a cópia total ou parcial deste site.
 
 
 Quando não constar qualquer observação
 sobre a autoria das imagens usadas neste site,
 considere que foram capturadas na Internet
ou em grupos de trocas virtuais,
 sendo portanto de uso sem restrições.
 
 Visualização Padrão 1600x900

Webdesigner Drica Del Nero até Maio de 2011

Webdesigner Marise Ribeiro

Página inserida em Agosto de 2006
e reformatada em Julho de 2013.

Crédito
Midi Ernesto Cortazar - Alone