Reaprendendo

Marise Ribeiro
 


Achei que não ia mais conseguir
arrancar do peito o espinho
que você deixou de lembrança,
mas desta recordação fiz a temperança,
dosei a dor com a esperança
e a receita que eu obtive
é que a paz agora em mim vive.

Reaprendi a caminhar só...
Aos poucos o sorriso foi se chegando,
o olhar desanuviou a cegueira d'alma,
passei a ver a beleza gritando,
a ouvir os pássaros em alaridos,
a banhar na chuva meus gemidos,
ver a semente do amanhã brotando.

Tirei dessa mistura um aprendizado,
ao me deixar lentamente cicatrizando...
Ergo-me da queda dia após dia,
continuo dando passos em busca do amor,
colho momentos de plena harmonia,
porque a ingratidão que você cometeu
feriu-me o brio, mas o coração sobreviveu.

Não vou me lamentar do passado...
Iludi-me, e daí? Tudo já se acabou.
Sei que novos desafios enfrentarei,
outras desilusões posso ganhar de legado,
nem me importa como e quando,
só espero que tudo isto que cultivei
pela fé em Deus continue a ser regado.


30/01/07





 



 

 



 


 
 

Para receber nosso
Boletim de Atualizações
cadastre seu e-mail

AQUI

Gostaria de traduzir
esta página?
Então clique

AQUI



 

 

  Site Editado em Maio de 2006
 Copyright
© 2006 - Marise Ribeiro
 Todos os direitos reservados.
 Proibida a cópia total ou parcial deste site.
 
 
 Quando não constar qualquer observação
 sobre a autoria das imagens usadas neste site,
 considere que foram capturadas na Internet
ou em grupos de trocas virtuais,
 sendo portanto de uso sem restrições.
 
 Visualização Padrão 1600x900

Webdesigner Drica Del Nero até Maio de 2011

Webdesigner Marise Ribeiro

Página inserida em Fevereiro de 2007
e reformatada em Julho de 2013.

Créditos
Mask Narah
Midi Dreams