Presságio
 


Marise Ribeiro

Parece em mim torturantes marteladas
o som de cada segundo,
anunciando que não vens...
Horas passivas e subtraídas
fazem de mim e das madrugadas
tuas submissas reféns.

O amanhecer chega como o carcereiro
que liberta o prisioneiro
para o banho de sol...
Mas nem o sol aparece para me aquecer
e me fazer esquecer
de que sou mais uma
a não escutar o canto do rouxinol.

O pássaro também não desperta
nesta manhã cinzenta e agourenta,
como se fosse um presságio
de que a minha resignação
me prenderá a uma tibieza serena
e me obrigará ainda a cumprir pena
com pesado e excruciante ágio.


07/01/07







 



 

 



 


 
 

Para receber nosso
Boletim de Atualizações
cadastre seu e-mail

AQUI

Gostaria de traduzir
esta página?
Então clique

AQUI



 

 

  Site Editado em Maio de 2006
 Copyright
© 2006 - Marise Ribeiro
 Todos os direitos reservados.
 Proibida a cópia total ou parcial deste site.
 
 
 Quando não constar qualquer observação
 sobre a autoria das imagens usadas neste site,
 considere que foram capturadas na Internet
ou em grupos de trocas virtuais,
 sendo portanto de uso sem restrições.
 
 Visualização Padrão 1600x900

Webdesigner Drica Del Nero até Maio de 2011

Webdesigner Marise Ribeiro

Página inserida em Abril de 2007
e reformatada em Julho de 2013.

Créditos
Element Nicole
Midi Pavana Capricho