Post Mortem

Marise Ribeiro



Não é nossa culpa
se o abismo que se abriu
enterrou o nosso amor febril.

Essa morte já vinha anunciada...
Há algum tempo agonizava,
faltava apenas o ponto final.

Restaram lembranças
de um amor sem cobranças.
Talvez essa excessiva liberdade
tenha acarretado tal fatalidade.

Amor sem ciúmes,
paixão carnal, loucura total.
Somente desejo como remédio
não bastou.

O lampejo da aventura se apagou.
O amor sem dosagem
arvorou-se de coragem
e, com o próprio veneno, se matou.


22/07/05






 



 

 



 


 
 

Para receber nosso
Boletim de Atualizações
cadastre seu e-mail

AQUI

Gostaria de traduzir
esta página?
Então clique

AQUI



 

 

  Site Editado em Maio de 2006
 Copyright
© 2006 - Marise Ribeiro
 Todos os direitos reservados.
 Proibida a cópia total ou parcial deste site.
 
 
 Quando não constar qualquer observação
 sobre a autoria das imagens usadas neste site,
 considere que foram capturadas na Internet
ou em grupos de trocas virtuais,
 sendo portanto de uso sem restrições.
 
 Visualização Padrão 1600x900

Webdesigner Drica Del Nero até Maio de 2011

Webdesigner Marise Ribeiro

Página inserida em Agosto de 2006
e reformatada em Julho de 2013.

Créditos
Midi Requien Funeral March