O Grito do Albatroz

Marise Ribeiro
 


Não sei mais até onde chega meu grito,
nem sei se ainda vale a pena insistir,
brigo comigo mesma, me ponho em conflito,
quando de ti tento desistir.

Quero ser livre, elevar-me pela brisa,
cruzar mares de felicidade, vencer tempestades...
Preciso sentir ojeriza do corpo teu,
mas não consigo dizer isso ao meu.

Marcaste em mim, a ferro e fogo,
um desejo que dia a dia me calcina,
quero dar as cartas, ser a dona do jogo,
mas teu blefe me reconduz à neblina.

Novamente as promessas, os presentes, o perdão...
Recolho as asas do voo que ameacei começar...
Ainda viro um albatroz, domo o vento e a vastidão,
deixando ecoar o grito na hora em que de ti emigrar.


04/07/06





 



 

 



 


 
 

Para receber nosso
Boletim de Atualizações
cadastre seu e-mail

AQUI

Gostaria de traduzir
esta página?
Então clique

AQUI



 

 

  Site Editado em Maio de 2006
 Copyright
© 2006 - Marise Ribeiro
 Todos os direitos reservados.
 Proibida a cópia total ou parcial deste site.
 
 
 Quando não constar qualquer observação
 sobre a autoria das imagens usadas neste site,
 considere que foram capturadas na Internet
ou em grupos de trocas virtuais,
 sendo portanto de uso sem restrições.
 
 Visualização Padrão 1600x900

Webdesigner Drica Del Nero até Maio de 2011

Webdesigner Marise Ribeiro

Página inserida em Outubro de 2006
e reformatada em Julho de 2013.

Crédito
Midi Ernesto Cortazar - Just Because