Minhas Estações

Marise Ribeiro
 


Tempo de angústias traz um vento frio
E exaure do alicerce o seu vigor,
Mas o pranto, tenaz renovador,
Liberta a estéril alma de outro estio...

Foi-se o momento exato ao replantio
Neste coração sempre desertor...
Invernado ao convívio de um amor,
Uma vez mais do pólen não viu o cio.

As estações amargas vão sem flores...
Na brisa, voos sós e sem olores,
Porque nada vingou no meu jardim...

No outono deste tronco em tal desleixo,
Pelos caminhos, folhas mortas deixo:
As mudas dores... que caem de mim!


16/06/08






 



 

 



 


 
 

Para receber nosso
Boletim de Atualizações
cadastre seu e-mail

AQUI

Gostaria de traduzir
esta página?
Então clique

AQUI



 

 

  Site Editado em Maio de 2006
 Copyright
© 2006 - Marise Ribeiro
 Todos os direitos reservados.
 Proibida a cópia total ou parcial deste site.
 
 
 Quando não constar qualquer observação
 sobre a autoria das imagens usadas neste site,
 considere que foram capturadas na Internet
ou em grupos de trocas virtuais,
 sendo portanto de uso sem restrições.
 
 Visualização Padrão 1600x900

Webdesigner Drica Del Nero até Maio de 2011

Webdesigner Marise Ribeiro

Página inserida em Julho de 2008
e reformatada em Julho de 2013.

Créditos
Tubes CibiBijoux e Irene