Mensageira

Marise Ribeiro
 


A poesia atirou-se por estradas...
Decidida, não olhou sequer pra trás,
Arrastou versos bem repletos de ais
De uma alma tão refém das madrugadas.

Atravessou assim muitas alvoradas,
Entendendo o bailado dos trigais
E, no frescor das águas outonais,
Mitigou suas tintas tão pesadas.

Na ânsia de verter sua saudade
Para o autor da aflição que tanto a invade,
Nem percebeu um desvio a se criar...

Por ter haurido encantos no trajeto,
Havia apenas rimas com afeto,
Quando ela repousou naquele olhar...


11/04/08






 



 

 



 


 
 

Para receber nosso
Boletim de Atualizações
cadastre seu e-mail

AQUI

Gostaria de traduzir
esta página?
Então clique

AQUI



 

 

  Site Editado em Maio de 2006
 Copyright
© 2006 - Marise Ribeiro
 Todos os direitos reservados.
 Proibida a cópia total ou parcial deste site.
 
 
 Quando não constar qualquer observação
 sobre a autoria das imagens usadas neste site,
 considere que foram capturadas na Internet
ou em grupos de trocas virtuais,
 sendo portanto de uso sem restrições.
 
 Visualização Padrão 1600x900

Webdesigner Drica Del Nero até Maio de 2011

Webdesigner Marise Ribeiro

Página inserida em Abril de 2008
e reformatada em Julho de 2013.

Créditos
Tubes Claudia Viza e Silvie
Tutorial Saturnella Design
Midi Emile Pandolfi - How Do You keep Music