Máscara da Ilusão

Marise Ribeiro



Na face, a máscara obrigatória
Na alma, a satisfação ilusória
Sou palhaça da vida fingida
Maquiagem pelo choro escorrida...

Palhaça a sorrir... a gargalhar
Quando a vontade é sumir... gritar
Palhaça que brinca com o mundo
Mas com um coração vagabundo.

Palhaça na hora em que a dor aperta
Fingindo aquele sofrimento não sentir
Palhaça na solidão da pena de poeta
Em que é mais fácil a fantasia vestir...

Até quando vou me valer dessa condição
De misturar realidade e ilusão?
Até quando vou entrar no palco, assim
E voltar a ser eu mesma no camarim?


03/05/07







 



 

 



 


 
 

Para receber nosso
Boletim de Atualizações
cadastre seu e-mail

AQUI

Gostaria de traduzir
esta página?
Então clique

AQUI



 

 

  Site Editado em Maio de 2006
 Copyright
© 2006 - Marise Ribeiro
 Todos os direitos reservados.
 Proibida a cópia total ou parcial deste site.
 
 
 Quando não constar qualquer observação
 sobre a autoria das imagens usadas neste site,
 considere que foram capturadas na Internet
ou em grupos de trocas virtuais,
 sendo portanto de uso sem restrições.
 
 Visualização Padrão 1600x900

Webdesigner Drica Del Nero até Maio de 2011

Webdesigner Marise Ribeiro

Página inserida em Junho de 2007
e reformatada em Julho de 2013.

Crédito
Midi Ernesto Cortazar - Meditative