Cortinas do Tempo

Marise Ribeiro
 


As cortinas do tempo se abrem...
Vejo-me então, lá... no palco... sozinha...
E como se possível fosse também,
deslizo como sombra diáfana no espaço,
única, majestosa...
A saia em tule, abrindo-se como uma rosa
em cor-de-rosa...
A plateia silenciosa,
como se estivesse em transe,
acompanha a minha performance...
Eu não os via, apenas os sabia...
O foco de luz dançava comigo
e eu não me sentia mais só... Era meu abrigo...
Minha pele alva, com a claridade daquela magia,
tornava-me uma bailarina de porcelana.
Mais vibrantes iam se transformando
as notas musicais...
... e eu criava asas, em voos triunfais,
deixando o cisne flutuar para a morte...
Uma explosão de aplausos em delírio
estalam na minha realidade...
Levanto-me lentamente, com dificuldade,
penteio meus cabelos brancos
com um sorriso nos lábios... diferente...
Naquela noite pude dançar novamente...
... até o fim,
e a bailarina que em mim
já há muito tempo adormeceu,
agradece-me pela noite de apogeu.


22/10/06






 



 

 



 


 
 

Para receber nosso
Boletim de Atualizações
cadastre seu e-mail

AQUI

Gostaria de traduzir
esta página?
Então clique

AQUI



 

 

  Site Editado em Maio de 2006
 Copyright
© 2006 - Marise Ribeiro
 Todos os direitos reservados.
 Proibida a cópia total ou parcial deste site.
 
 
 Quando não constar qualquer observação
 sobre a autoria das imagens usadas neste site,
 considere que foram capturadas na Internet
ou em grupos de trocas virtuais,
 sendo portanto de uso sem restrições.
 
 Visualização Padrão 1600x900

Webdesigner Drica Del Nero até Maio de 2011

Webdesigner Marise Ribeiro

Página inserida em Novembro de 2006
e reformatada em Julho de 2013.

Crédito
Midi The Swan Saint Saenz