Contradição

Marise Ribeiro



Gritei por muito tempo o que eu sentia
Em olhares diretos e prementes,
Enquanto o corpo em frêmitos candentes
Mandava só mensagens de agonia.

Palavras sem véus, nuas, transparentes,
Voavam da minh’alma com poesia...
A atenção ao meu amor adormecia
Nas horas que acordavam já doentes...

Ah, mas a vida é tão contraditória!...
Às vezes muda o curso de uma história,
E o que era justo vira artificial.

Hoje a ironia usada em entrelinhas,
Avesso das verdades que eram minhas,
Faz-me ser consagrada em pedestal!...


30/10/08

 







 



 

 



 


 
 

Para receber nosso
Boletim de Atualizações
cadastre seu e-mail

AQUI

Gostaria de traduzir
esta página?
Então clique

AQUI



 

 

  Site Editado em Maio de 2006
 Copyright
© 2006 - Marise Ribeiro
 Todos os direitos reservados.
 Proibida a cópia total ou parcial deste site.
 
 
 Quando não constar qualquer observação
 sobre a autoria das imagens usadas neste site,
 considere que foram capturadas na Internet
ou em grupos de trocas virtuais,
 sendo portanto de uso sem restrições.
 
 Visualização Padrão 1600x900

Webdesigner Drica Del Nero até Maio de 2011

Webdesigner Marise Ribeiro

Página inserida em Novembro de 2008
e reformatada em Julho de 2013.

Créditos
Mask Violette
Midi Duas Almas