Apelo

Marise Ribeiro



Esquece teus dias mofados,
Aprisionados num peito amedrontado,
Fugindo do intrépido amor...

Clareia a penumbra do pudor,
Que na redoma teu olhar protege
Dos acenos deste meu corpo herege...

Governa os indecisos lábios teus,
Perdidos na busca de um norte,
E os ancora na ânsia dos meus...

Apaga os velhos prazeres expulsos,
Declamados em versos avulsos,
E rima minha poesia com a tua alforria...

Abra a medida do bom senso,
Perfuma a coragem com incenso,
E me traz o faro do imoderado...

Cavalga na sede que te tortura,
No vento que soprou tua jura,
E atinge assim meu oásis pra te saciar...

Esquece a promessa do "jamais",
Deita-te na certeza que me dás
E vem... Vem e deixa eu te amar!...


24/06/09






 



 

 



 


 
 

Para receber nosso
Boletim de Atualizações
cadastre seu e-mail

AQUI

Gostaria de traduzir
esta página?
Então clique

AQUI



 

 

  Site Editado em Maio de 2006
 Copyright
© 2006 - Marise Ribeiro
 Todos os direitos reservados.
 Proibida a cópia total ou parcial deste site.
 
 
 Quando não constar qualquer observação
 sobre a autoria das imagens usadas neste site,
 considere que foram capturadas na Internet
ou em grupos de trocas virtuais,
 sendo portanto de uso sem restrições.
 
 Visualização Padrão 1600x900

Webdesigner Drica Del Nero até Maio de 2011

Webdesigner Marise Ribeiro

Página inserida em Julho de 2009
e reformatada em Julho de 2013.

Créditos
Mask Violette
Midi Don't Know Why