Meu Coração
Tere Penhabe




Meu coração, não é mais que um aprendiz,
Que vive tropeçando no caminho,
Traz sempre a lhe ferir, algum espinho,
Aceita a dor que não pediu, não quis.

Perdeu nas lutas, todo o seu matiz!
Agora segue trôpego e sem ninho,
A degustar suas dores num cantinho.
Afaga triste, a grande cicatriz!

É a maior, que entre todas, já colheu!
E tem por ela, um carinho imenso,
Que chega a ser cruel, às vezes penso...

Mas pelo amor grandioso que viveu
Dilacerava, uma a uma, as suas fibras,
Pois já nem sente mais, dores antigas!



Santos, 26.01.2008

 

 

Semeador
(Semeia a dor)
Marise Ribeiro





Quisera cultivar dores antigas
E com elas seguir bem adubada
Mas este coração, sem pá ou enxada
Planta-me sem cessar novas urtigas...

Quando me sinto assim, acostumada
Em ter a alma arada por formigas
Tenros pesares vêm, brotam do nada
E fundo se enraízam como vigas.

Quisera, enfim, tornar-me pedregosa
Lágrimas não chover quando nublosa
Apenas ser um reles solo morto...

Mas sementeiro pássaro da dor
Meu coração traz novo dissabor
E cria em mim um outro fértil horto!...



08/02/08


 


 

 

 

  Anterior    

  Próxima   

 

 
 

Para receber nosso
Boletim de Atualizações
cadastre seu e-mail

AQUI

Gostaria de traduzir
esta página?
Então clique

AQUI


 

 

  Site Editado em Maio de 2006
 Copyright
© 2006 - Marise Ribeiro
 Todos os direitos reservados.
 Proibida a cópia total ou parcial deste site.
 
 
 Quando não constar qualquer observação
 sobre a autoria das imagens usadas neste site,
 considere que foram capturadas na Internet
ou em grupos de trocas virtuais,
 sendo portanto de uso sem restrições.
 
Visualização Padrão 1600x900

Webdesigner Drica Del Nero até Maio/2011

Webdesigner Marise Ribeiro

Página inserida em Fevereiro/2008
e reformatada em Outubro/2013

Créditos
Midi Andre Rieu - The Music Of The Night