Curando a Saudade...
Lêda Mello




A saudade é ferida
que sangra, mas ninguém vê,
é dor que n'alma sentida
não se pode descrever.

Como curar a saudade,
se não se pode saber
local e profundidade
onde ela vai se esconder?

É vôo de liberdade
que não se pode apressar.
A ferida da saudade
só o tempo pode curar!



Arapiraca (AL), 09.05.2008

 

 

A Saudade é Incurável
Marise Ribeiro




Com o decorrer do tempo,
a saudade se aquieta,
mas num simples contratempo
ela volta e nos espeta.

A insônia do vazio,
vento que nos faz tremer,
traz pra alma um novo frio,
quando chega o anoitecer.

Coração, campo minado,
que a chaga tão bem esconde,
faz à dor novo chamado
e a saudade então responde...



31/05/08


 


 

 

 

  Anterior    

  Próxima   

 

 
 

Para receber nosso
Boletim de Atualizações
cadastre seu e-mail

AQUI

Gostaria de traduzir
esta página?
Então clique

AQUI


 

 

  Site Editado em Maio de 2006
 Copyright
© 2006 - Marise Ribeiro
 Todos os direitos reservados.
 Proibida a cópia total ou parcial deste site.
 
 
 Quando não constar qualquer observação
 sobre a autoria das imagens usadas neste site,
 considere que foram capturadas na Internet
ou em grupos de trocas virtuais,
 sendo portanto de uso sem restrições.
 
Visualização Padrão 1600x900

Webdesigner Drica Del Nero até Maio/2011

Webdesigner Marise Ribeiro

Página inserida em Junho/2008
e reformatada em Outubro/2013

Créditos
Tubes Guismo e Alies
Tutorial Créations-Vivi
Midi Andre Rieu - Si Vous L'Aviez Compris