Soneto de Luz e Treva
Vinícius de Moraes



Ela tem uma graça de pantera
no andar bem comportado de menina
no molejo em que vem sempre se espera
que de repente ela lhe salte em cima

Mas súbito renega a bela e a fera
prende o cabelo, vai para a cozinha
e de um ovo estrelado na panela
ela com clara e gema faz o dia

Ela é de Capricórnio, eu sou de Libra
eu sou o Oxalá velho, ela é Inhansã
a mim me enerva o ardor com que ela vibra

E que a motiva desde de manhã.
-- Como é que pode, digo-me com espanto,
a luz e a treva se quererem tanto...

 


 

Ciranda "Divergência"

Poetas Participantes

 

  1 – Marise Ribeiro
  2 – Ilze Soares
  3 – Beatriz por um triz
  4 – Anna Peralva
  5 – Lilia Machado
  6 – Marcial Salaverry
  7 – Carmo Vasconcelos
  8 – Maria Thereza Neves
  9 – Tonho França
10 – Jorge Linhaça
11 – Sonia Pallone
12 – Humberto Rodrigues Neto
13 – Eugénio de Sá
14 – Avany Morais
15 – Luiz Poeta
16 – Naidaterra
17 – Vera Hernandez
18 – Mercília Rodrigues
19 – Maria Regina Moura Ribeiro
20 – Clara da Costa
21 – Claudete Silveira
22 – Eme Paiva


 

1 - Convergência Final
Marise Ribeiro

Eu olhei,
... ele esnobou.
Eu pedi,
... ele negou.
Eu afaguei,
... ele bateu.
Eu forcei,
... ele evitou.
Eu amei,
... ele brincou.
Eu gozei,
... ele cuspiu.
Eu disse adeus,
... ele partiu!

14/04/05





2 - Divergência
Ilze Soares

Ele chegou...
mal olhei...
Ele encarou...
eu desviei...
Ele sorriu...
eu me encantei...
Ele mentiu...
eu me apaixonei...
Ele sumiu...
e eu chorei!...





3 - Renascente
Beatriz por um triz*

Eu chamei,
... ele não ouviu
Implorei,
.... ele seguiu
Avistei,
... ele não viu
Renasci,
.... ele sucumbiu





4 - Dissonante
Anna Peralva

Eu amei,
... ele se achegou.
Eu entreguei,
... ele usou.
Eu sonhei,
... ele acordou.
Eu chorei,
... ele não notou.
Eu implorei,
... ele zombou.
Eu fiquei,
... ele se afastou.
Eu cansei,
... nada mais restou!...

17/11/2007




5 - Frustração
Lilia Machado

Quando eu quis,
Ele negou
Quando me fui
Ele pediu
Quando voltei
Ele fingiu...
Eu acreditei e fiquei
Ele se foi
Eu desabei!

18/11/07




6 – Entrega de Amor
Marcial Salaverry

Nessa entrega,
sem palavras,
descobrimo-nos...
És minha,
sou teu...
O passado morreu...
Venha,
complete-se,
complete-me...
Sejamos dois em um...





7 - Dúvida
Carmo Vasconcelos

Ele a amava
À sua maneira
Ela não gostava
Não o entendia!


Ela falava
Ele não ouvia
Ela gracejava
Ele não ria
Ela o afagava
Ele não queria
Ela sonhava
Ele dormia

Então, ela pensava:

Que amor é este?
E não o entendia!

Confusa, humilhada
Ela fugia
Então, ele acordava
E a procurava
Porque sofria

Ela, como sempre
Não o entendia!
Mas sempre voltava...

Só nunca entendeu
Por que o fazia...
Porque o amava?
Ou porque ele sofria?

Lisboa/Portugal/1995




8 - Abstrações
MariaTherezaNeves

Mágicos momentos
que engravidam flores
instantes polens
que fogem ao vento
escapam ao soprar das folhas.

Traços
rabiscos que marcam
dissolvem em sombras ondas
lembranças
memórias-almas
infinitos perdidos horizontes.

Inércia dos sentidos
dos sons esquecidos
essência, digitais dos frutos
das pedras, poças, estradas e ruas
cegos restos de vidas
em vazias surdas mãos.

JF/MG-26/01/2004-02h10




9 - Dissonância...
tonho frança

Eu olharia
se você não esnobasse
eu até faria versos
se você os declamasse
eu forçaria
se você se insinuasse
afagaria sempre
se te agradasse
eu brindaria a nós todas as noites
se ao menos uma noite
você sinceramente brindasse
eu não partiria
ou se até voltaria
eu ainda volto
eu volto
eu nem iria
se você me amasse...





10 – Divergência Afinal
Jorge Linhaça

Eu cheguei...
Ela chegou...
Eu a quis
Ela me quis
Eu sonhei
Ela sonhou
Foi um tempo
Tão feliz
"Um" falou
"outro" falou
Chama aqui
Chama acolá
A distância
aumentou
Tão difícil
equacionar
Eu tão perto
Ela tão longe
Eu desejo
Ela razão
Quero beijos!
Ela responde:

"Mais tarde
agora não."
E nesses
descaminhos;
encruzilhadas
da vida
Cada qual
já no seu canto
Chora ainda
a despedida.





11 - Antagônicos
Sonia Pallone

"...Você chegava
e eu nem te via...
Me olhava calado
eu não entendia...
Se sentava ao meu lado
eu nem percebia...
Um dia você se foi...
Eu não vi.
Mas entendi..."





12 - Casual
(Humberto - Poeta)

Olhei-a,
evitou-me...
Insisti,
ignorou-me...
Aproximei-me,
afastou-se...
Alcancei-a,
parou...
Fitei-a...
me encarou.
- Quero falar-te!
emudeceu...
- Entendes-me?
olhou-me...
- Crês em mim?
vacilou...
- Amo-te!
sorriu...
Dei-lhe o braço,
aceitou.
Chegamos,
entrou...
Fiz-lhe juras,
acreditou...
Dei-lhe minha vida,
não mais se foi...
Nem eu!





13 -Ausência
Eugénio de Sá

Brilha o luar
Neste quarto
Onde dorme
A rejeição

Este espaço
foi festa da vida
hoje
só a indiferença
o ocupa

Noite estival
frio este pesar
da tua ausência
aqui deitada

Durmo, finalmente
cansado
de lembrar





14 - Melhor Assim...
Avany Morais

Ele chegou...
Meu ego afagou,
ao confessar o seu amor.

Acreditei...
Além do que podia,
eu amei.

Abusou...
Fingiu amor...
Sorrindo partiu.

Chorei...
Reclamei...
Quase morri.

Sobrevivi e percebi...
Sem seu amor...
Bem melhor pra mim.

Curitiba-PR
4h02min
24.11.2007





15 – Eles, Elas e os Outros
Luiz Poeta - Luiz Gilberto de Barros
22 h e 39 min do dia 30 de novembro de 2004

Por mais que alguém tente vê-los
Heterogêneos em tudo,
Nas formas, nos corpos, nos pêlos,
É sempre vão esse estudo.

Pois quando os dois se penetram
No instante do amor mais profundo,
Suas almas se completam
Totalmente... num segundo.

Por mais que alguém os discuta
Psicologicamente,
Qualquer visão mais astuta
Será vã, incompetente.

Porque, quando suas mentes
Voam dentro do desejo,
Quando há em cada beijo,
Desejos inconseqüentes...

Que importa o que alguém invente
Sobre suas diferenças;
O prazer mais envolvente
E o amor são recompensas.


Por isso, experimente,
Mas vá com moderação...
Se sinto o que ela sente,
Que se dane a convenção!





16 - Tentativas
Naidaterra

Eu cedi,
... você não aceitou.
Eu pedi,
... você contestou.
Eu argumentei,
... você mudou de assunto...
Eu parei,
... você me incitou.
Eu tentei novamente,
... você me olhou com desprezo.
Eu chorei,
... você ignorou.
Eu disse adeus,
... você cruzou os braços.
Eu lhe dei as costas,
... você me chamou.
Eu não voltei,
... você meu nome gritou.
Eu fiz que não ouvi,
...você se desesperou.
Eu arrebentada e só,
... você sem consolo,
Me perdeu...





17 - Convergência
Vera Hernandez

Eu amei,
eu senti,
eu quis,
eu tentei,
eu fui constante,
adorei,
falei,
pedi,
implorei,
hoje, nada restou.
Apenas um vazio
enorme no coração.
Desisti de tudo!
Foi loucura de mim!





18 - Eu te quis
Mercília Rodrigues

Se te amei,
tu me amaste,
se te perdi,
tu me achaste!
Quando te quis,
tu me buscaste!
Eu me entreguei,
tu me acolheste,
Foste o amor,
em florescência ...
Botão em flor,
doce carência!





19 - Antagonismo Gemelar
Maria Regina Moura Ribeiro


Elas nasceram juntas
na mesma placenta...
mas o destino que as uniu
mostrou cedo os antagonismos.
Uma era quieta, observadora
e a outra serelepe, intuitiva.
Uma estudiosa, calma,
a outra trabalhadora, esperta até demais.
A realista era calada, gostava de ler.
A sonhadora era falante, vivia a brincar.
Estudaram juntas até o normal,
sempre se completando ou se escondendo,
até chegarem à universidade.
Uma foi cursar jornalismo e a outra psicologia.
Continuaram se ajudando, apesar dos antagonismos.
E é por causa dessa diversidade que vivem felizes,
se completando, amando e ajudando há 62 anos...

São Paulo, 26 de novembro de 2007
www.corujando.com.br





20 - Encontro
Clara da Costa

Nada é por acaso...
o destino nos uniu,
sem palavras,
nos encontramos...
Sem palavras
nos despedimos...
Eu te amo,
você me ama,
estamos distantes
e juntos...
no coração...




21 – Concluinte
Claudete Silveira

Ele chegou,
Aceitei!
Encantou-me,
Sonhei!
Olhou-me,
Arrepiei!
Procurou-me,
Adorei!
Tocou-me,
Consenti!
Amou-me,
Vivi!





22 – Tolo!
Eme Paiva


Nossa vida
é exatamente igual a esta dança:
Você me tira para dançar,
por pura obrigação e,
por obrigação,
eu tenho que aceitar!
Mas, na dança,
você se distrai em descompassos
e eu de tudo faço
para o acompanhar!
Querer colar o rosto é um disfarce,
para que eu não veja
a direção do seu olhar!
Como se eu me importasse!
Na verdade,
não era comigo que você queria dançar!
E eu, que de tudo isso, já estou cansada,
não faço mesmo questão de nada!...
Muito menos de dançar!
Tolo!

03.12.07







(a revisão dos textos é responsabilidade de cada autor)

 
 
 
 
 

   Anterior   

   Próxima

 

Home

Índice



 
 

Para receber nosso
Boletim de Atualizações
cadastre seu e-mail

AQUI

Gostaria de traduzir
esta página?
Então clique

AQUI



 

 

  Site Editado em Maio de 2006
 Copyright
© 2006 - Marise Ribeiro
 Todos os direitos reservados.
 Proibida a cópia total ou parcial deste site.
 
 
 Quando não constar qualquer observação
 sobre a autoria das imagens usadas neste site,
 considere que foram capturadas na Internet
ou em grupos de trocas virtuais,
 sendo portanto de uso sem restrições.
 
 Visualização Padrão 1600x900

Webdesigner Drica Del Nero até Maio de 2011

Webdesigner Marise Ribeiro

Página Inserida em 19/12/07

Créditos
Imagem: 1000imagens
Midi Baden Powel - Lamento